ÚLTIMAS NOTÍCIAS
 25/11/2020

Representantes dos empregados cobram soluções urgentes sobre a “Dificulcard”



Os empregados da Caixa continuam enfrentando muitos problemas para utilizar os cartões refeição e alimentação fornecidos pela empresa Verocard. “Jão são mais de quatro meses que a ‘Dificulcard’ passou a administrar os cartões e as dificuldades continuam imensas, a situação até já virou piada”, indignou-se o diretor da Apcef/SP e membro da Comissão Executiva dos Empregados da Caixa (CEE), Jorge Luiz Furlan.

Na sexta-feira (20/11), representantes dos empregados participaram de reunião com representantes da Gerência Nacional da Caixa (Gener), da Gipes/SP e da Verocard para tratar mais uma vez das dificuldades que os empregados estão enfrentando para utilizar seus cartões refeição e alimentação.

Caixa diz que não é possível encerrar o contrato 

A licitação da Caixa foi iniciada no mesmo dia em que a pandemia foi decretada no Brasil: 11 de março. Durante o processo, uma empresa concorrente chegou a mencionar a questão da pandemia como fator dificultador para o cumprimento do número de estabelecimentos credenciados exigido pelo edital. No entanto, a Verocard afirmou que não tinha dificuldade alguma neste ponto. Mas, na prática, não é o que se tem visto.

Apesar de afirmarem que há credenciados próximos a todas as unidades da Caixa, os empregados têm muita dificuldade no uso dos cartões, principalmente no refeição. “A Verocard e a Caixa disseram que as reclamações diminuíram”, contou Furlan. “Com certeza, muita gente desistiu de reclamar, já que nada é feito”, completou. Houve um aumento na transferência de valores do cartão refeição para o alimentação, reflexo da dificuldade na utilização do benefício.

Apesar de, em pleno século 21, os empregados estarem com dificuldades para se alimentar, a direção da Caixa afirmou que não é possível encerrar ou rever o contrato.

Reclamações 

Os principais problemas apontados pelos bancários envolvem estabelecimentos que constam como credenciados, mas não aceitam a bandeira; indicações feitas em que a Verocard não faz contato e/ou não dá retorno; estabelecimentos que não se credenciam porque a taxa cobrada pela Verocard é muito maior que a dos outros cartões (apesar de afirmarem que cobram a menor taxa do mercado), entre outras.

Durante a reunião, os representantes da Verocard disseram que respondem prontamente todas as reclamações ou sugestões recebidas, mas, na prática, não é bem assim.

Diante da recusa da Caixa de resolver a situação, as entidades representativas orientam os trabalhadores a abrirem chamados na Ouvidoria do banco.

"Enquanto milhares de empregados estão há mais de meses com um direito restringido, sendo constrangidos quando buscam um restaurante, supermercado ou pedem uma refeição por meio de aplicativo, a direção do banco dá de ombros para todo este caos provocado pela Verocard.  A Caixa precisa se lembrar que os vales são direitos conquistados pela categoria. Reivindicamos que a direção do banco reveja e solucione essas questões o mais breve possível", reforça o diretor do Sindicato dos Bancários de Catanduva e região, Antônio Júlio Gonçalves Neto, também dirigente da Apcef/SP.

O movimento sindical permanecerá com as cobranças até que algo seja feito pela Caixa. É muito ruim para a imagem do banco ter problemas em um benefício tão básico para seus trabalhadores, como os cartões refeição e alimentação.



Fonte: Apcef/SP, com edição de Seeb Catanduva
MAIS NOTÍCIAS
« voltar 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20 avançar »
TOPO