ÚLTIMAS NOTÍCIAS
 09/01/2020

Empregados indicam pautas para reunião do dia 15 entre Caixa e entidades representativas


Diretores do Sindicato em ato público em defesa da Caixa
(Foto: Seeb Catanduva)


O movimento sindical fez um chamado aos empregados da Caixa para que colaborassem com a pauta de reivindicações que será debatida com a direção do banco público em reunião que será realizada no dia 15. Trabalhadores de todo o Brasil atenderam à solicitação e colaboraram com inúmeras sugestões, todas incluídas na pauta já enviada ao banco.

“Mais uma vez, empregados da Caixa de todo o Brasil mostraram que estão muito atentos às mudanças e políticas de gestão que afetam seus direitos, saúde e condições de trabalho, além de se mostrarem conscientes da importância de defender a Caixa 100% pública e sua função social. Essa sinergia entre empregados e entidades representativas foi fundamental nas lutas que travamos em 2019 e, com certeza, mostrará novamente essa força em 2020”, destaca o coordenador da Comissão Executiva dos Empregados (CEE/Caixa), Dionísio Reis.

No dia 13, dois dias antes da reunião com a direção do banco, será realizado Dia Nacional de Luta dos Empregados da Caixa. Entre as ações realizadas ações nos locais de trabalho está o convite para que os trabalhadores utilizem roupas de cores vibrantes e para que postem nas redes sociais cobranças para que a direção do banco atendas às reivindicações que serão debatidas no dia 15, acompanhadas da hashtag #ACAIXAÉTODASUA.

Confira abaixo as questões apontadas pelos empregados e entidades representativas para serem debatida com a direção da Caixa na reunião do dia 15:

- Respeito à carreira dos trabalhadores e não ao descomissionamento arbitrário.

- Fim da uberizacao do trabalho de caixas, tesoureiros e avaliadores de penhor (fim das carreiras por minuto).

- Estabilidade remuneratória aos empregados e pelo fim das incertezas, agravadas com os anúncios de restruturação.

- Fortalecimento do papel social da Caixa, com as funções que atendem a população sendo melhor remuneradas e encarreiradas (criação do assistente de atendimento social), valorização dos caixas e dos gestores em especial os Gov/Social.

- Novo modelo de PSI é excludente, considerando o último ciclo do GDP, no qual gestantes e empregados de licença não podem participar.

- Métodos mais eficientes para acompanhar os resultados das unidades, pois os superiores só olham os números do Conquiste. Porém, não verificam de que forma foram construídos, se todos dentro dos Normativos. Todo processo tem falhas e vários gestores não estão nem aí para Normativos. Fazem o resultado de qualquer forma e mesmo depois de constatado o descumprimento das normas, gerando prejuízo para a Caixa, o banco não toma nenhuma atitude contra essas chefias.

- Que a direção da Caixa brigue pelo restabelecimento do convênio com o INSS.

- Saúde Caixa para todos!

- Fim do Bônus Caixa e maior reconhecimento dos empregados.

- Fim das demissões dos PCDs por questões de adaptação.

- Contratação imediata dos concursados 2014.

- Cobrança de esclarecimentos sobre a reestruturação que retirada de direitos dos Caixas, Tesoureiros e Gestores, além do fim deste processo.

- Fim da verticalização: equiparação salarial dos GAN PF e PJ com os gerentes de relacionamento PF e PJ.

- Tesoureiros: imediata redução para jornada de 6h sem redução salarial e agregação da verba de quebra de Caixa ( essa verba também deve ser agregada aos avaliadores de Penhor).

- Valorização da Função de Caixa (volta da efetivação) e do atendimento a população com o fim do Caixa minuto.

- Fim do Revalida e do GDP.

- Fim da jornada irregular dos GG, com o registro de ponto e o impedimento de jornadas superiores a 12h.

- Transparência no Saúde Caixa: precisamos dos dados para poder fiscalizar ou negociar. Onde estão os relatórios?



Fonte: Seeb SP, com edição de Seeb Catanduva
MAIS NOTÍCIAS
« voltar 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20 avançar »
TOPO