ÚLTIMAS NOTÍCIAS
 01/10/2019

Empregados definem calendário de luta em defesa da Caixa 100% pública e dos direitos



Realizada na última terça-feira (24), em Brasília (DF), a reunião da Comissão Executiva dos Empregados (CEE) da Caixa analisou a atual conjuntura política do país e definiu um calendário de lutas contra o desmonte da empresa pública e contra a retirada de direitos dos trabalhadores da instituição.

“O atual momento político em que o país se encontra favorece o aprofundamento de medidas que visam o desmonte da empresa e no cerne da manutenção de todos os nossos direitos está a defesa da Caixa 100% pública. Por outro lado, os privatistas que se colocam na direção das estatais brasileiras tem como etapa no processo de privatização o corte de custos, e a consequente retirada de direitos como os planos de saúde e fundos de pensão. Por isso, a luta do movimento dos empregados deve se intensificar, com a participação e engajamento no calendário de lutas”, ressaltou o coordenador da Comissão Executiva dos Empregados (CEE) da Caixa, Dionísio Reis.

O diretor do Sindicato dos Bancários de Catanduva e Região, Antônio Júlio Gonçalves Neto, acrescenta que a Caixa atua em áreas que não são de interesse dos bancos privados e que geram desenvolvimento econômico e social para o Brasil. "Como um banco social, a Caixa é responsável por quase 70% do crédito habitacional total e por 90% do crédito para habitação popular no Brasil. O banco também investe em infraestrutura e saneamento básico, assim como é responsável pelo pagamento do Bolsa Família, do seguro-desemprego, do abono salarial e pela administração do FGTS de todos os brasileiros", destaca.

O diretor explica que a fragilização é o primeiro passo para a privatização, por isso é fundamental neste momento reforçar a mobilização em defesa da Caixa 100% pública e dos direitos. "O desmonte da Caixa significa a perda da estabilidade do emprego e dos direitos dos trabalhadores, mas, muito mais do que isso, significa que a população será privada de serviços bancários e de políticas sociais. Vamos reforçar a resistência e a luta em defesa do banco, que é também a defesa da sociedade", ressalta.

Na ocasião foi debatido os ataques na área da Saúde e no ‘Saúde Caixa’, na Previdência e na Funcef e os acelerados desmontes programados para a Caixa e para privatização dos bancos públicos. Segue a definição do calendário de luta.

Calendário de luta
  • 4 de outubro – Dia Nacional em Defesa dos Bancos Públicos.
     
  • 15 de outubro – Ato Nacional pela Soberania Nacional em São Paulo.
     
  • 16 de outubro – Lançamento da Cartilha sobre Gestão pelo terror na Caixa, Assédio moral, o descomissionamento arbitrário, o GDP e o Revalida.
     
  • 18 e 19 de outubro – Começa o pagamento das contas ativas e inativas para quem não tem conta na Caixa. Distribuição de material que destaca a importância do FGTS e de sua gestão ser centralizada na Caixa.
     
  • Dia 22 de outubro – Ato em defesa da Caixa 100% Pública com ênfase na defesa das loterias.



Fonte: Contraf-CUT, com edição de Seeb Catanduva
MAIS NOTÍCIAS
« voltar 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20 avançar »
TOPO