ÚLTIMAS NOTÍCIAS
 28/06/2019

Contra retrocessos: Contraf-CUT e CEE/Caixa definem calendário para o 35º Conecef


 
A Confederação Nacional dos Trabalhadores do Ramo Financeiro (Contraf-CUT), com assessoria da Comissão Executiva dos Empregados (CEE/Caixa), divulgou esta semana orientações para o 35º Congresso Nacional dos Empregados da Caixa Econômica Federal (Conecef). O evento será realizado em São Paulo (SP), entre os dias 1º e 2 de agosto, no Hotel Wyndham Garden Convention Norte/Espaço Immensitá. O congresso mira na importância de intensificar a mobilização em defesa da Caixa 100% Pública e contra a retirada de direitos, pois o momento é de resistência aos ataques contra o banco público e seus empregados. O slogan desta edição é "Todos contra o retrocesso".

Os debates no 35º Conecef terão como eixos a defesa da Caixa e dos bancos públicos; o combate à reestruturação e ao desmonte dos direitos; a defesa do Saúde Caixa, da Funcef e dos aposentados; a contratação de mais empregados; a saúde do trabalhador e condições de trabalho; a luta contra a terceirização, a verticalização e o descomissionamento arbitrário; e a defesa da Previdência Social. O evento vai reunir um total de 328 delegados, entre empregados da ativa e aposentados.

Conforme o calendário de organização do congresso, a data limite para inscrição de teses é 8 de julho. Os congressos ou fóruns estaduais que vão definir as propostas para o 35º Conecef devem ser realizados até 15 de julho, mesma data limite para inscrição dos delegados e envio dos relatórios dos fóruns estaduais à Contraf/CUT - para o e-mail contrafcut@contrafcut.org.br, com cópia para o endereço eletrônico fenae@fenae.org.br. As inscrições de delegados serão feitas eletronicamente por meio de um link, que será informado oportunamente.

Conjuntura de resistência

“A conjuntura é de resistência, e a nossa luta deve estar focada tanto na defesa da Caixa quanto nos direitos dos empregados”, avalia o dirigente sindical Dionísio Reis, coordenador da CEE/Caixa, que assessora a Contraf-CUT nas negociações com o banco.

O dirigente considera fundamental aprovar uma estratégia nacional em defesa da Caixa 100% Pública, social e forte, assim como em defesa de todos os bancos públicos. Nesse contexto, segundo Dionísio, é preciso ainda defender os direitos dos trabalhadores dessas instituições e o patrimônio público, que, se utilizado corretamente, poderia tirar o país da crise e elevar as condições de vida da população brasileira.

O Conecef é um momento importante da organização dos trabalhadores do banco, uma vez que discute as questões específicas do dia-a-dia dos empregados, construindo a partir daí a pauta de reivindicações da mesa permanente com a empresa.

“Como movimento nacional dos empregados que anuncia novas possibilidades e caminhos, o Conecef é um símbolo de vital importância para o conjunto do movimento dos trabalhadores no Brasil. Acreditamos que o futuro da Caixa possa ser construído com participação. Queremos uma Caixa onde todos os segmentos de trabalhadores caibam, onde cada empregado possa ser valorizado. Até conquistarmos o que almejamos, não vamos desistir”, pontua o vice-presidente da Fenae, Sérgio Takemoto.

 “A conjuntura é de resistência e  a nossa luta deve estar focada tanto na defesa da Caixa quanto nos direitos dos empregados e empregadas. Além de impedir o fim das aposentadorias e da seguridade social precisamos impedir o fatiamento da Caixa e a venda dos bancos públicos que ameaça não apenas os empregos, mas também o desenvolvimento social do país”, acrescenta o diretor do Sindicato dos Bancários de Catanduva e Região, Antônio Júlio Gonçalves Neto.

Critérios de participação

No 35º Conecef, segundo a CEE/Caixa, os critérios de participação estão definidos na proporção de um delegado para cada 300 bancários da Caixa ou fração maior ou igual a 150, considerada a base estadual, garantindo-se, no mínimo, dois por estado. Os aposentados têm participação garantida na mesma proporção dos ativos, assegurando-se um mínimo de um por estado.

Os integrantes da CEE/Caixa, no total de 12 – um por federação e um representante da Contraf/CUT – participam do congresso na condição de delegados natos. As inscrições serão feitas eletronicamente, embora o pagamento da taxa ficará sob a responsabilidade da entidade de origem.

Os fóruns preparatórios são de caráter regional ou estadual. A delegação do 35º Conecef está limitada a 50% do número de participantes no encontro preparatório. A paridade de gênero é obrigatória, sob pena de cortes.

Nesta edição, por decisão do Comando Nacional dos Bancários, não haverá inscrição de observadores, ficando franqueadas às federações a participação de convidados. Nesse caso, todas as despesas serão de responsabilidade da entidade de base.

21ª Conferência Nacional dos Bancários

Bancários de todo o país participam em São Paulo, no período de 2 a 4 de agosto, da 21ª Conferência Nacional dos Bancários. Será um evento para lutar, defender e garantir as reivindicações históricas conquistadas ao longo dos anos pelos trabalhadores das instituições financeiras públicas e privadas. O encontro acontecerá na Quadra do Sindicato dos Bancários de São Paulo, Osasco e Região.

Participam da conferência 635 bancários, entre delegados eleitos por federações e membros do Comando Nacional dos Bancários, os chamados natos. Serão debatidas, na ocasião, as ações da categoria bancária para a difícil conjuntura nacional que se apresenta.



Fonte: Fenae, com edição de Seeb Catanduva
MAIS NOTÍCIAS
« voltar 9 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20 21 22 23 24 25 26 27 28 avançar »
TOPO