31/08/2018
Campanha Nacional 2018: bancários derrotam Reforma Trabalhista e viram referência
Após dez rodadas de negociação com a Federação dos Bancos (Fenaban), os bancários fecharam a Campanha Nacional 2018, primeiro ano num contexto de Reforma Trabalhista, com um acordo de dois anos, que prevê aumento real de salários e manutenção dos direitos da Convenção Coletiva de Trabalho (CCT), com validade em todo o país, além de algumas garantias que a atual legislação trabalhista não assegura mais, como a permanência de hipersuficientes, trabalhadores que recebem acima de dois tetos do INSS, na CCT.

O presidente da CUT, Vagner Freitas, que é bancário, participou de assembleia de trabalhadores de bancos privados, que aprovou no dia 29 de agosto a proposta final da campanha. O dirigente destacou a importância do acordo para a classe trabalhadora.

“Derrotamos a Reforma Trabalhista construída pelos banqueiros. Isso é muito importante, porque sem isso o Brasil vai se atrasar muitos anos por uma barbárie”, disse ao ressaltar que os bancários fizeram história de demonstração de luta.